tea time yoosfera dois cafés (e um descafeinado) playlist

Sobre ansiedade...

.

Dica: dê play e leia a postagem!

Olá queridos leitores!

Eu sempre espero que o mês de Outubro seja calmo e positivo, porque faço aniversário e essa coisa toda de ficar mais velha significa muito para mim. Eu sempre espero algo bom disso, já que durante o começo do ano me sinto destroçada por expectativas não alcançadas. Tenho tentado trazer pedacinhos de coisas boas para cá, algo que me faça continuar, mas hoje preciso desabafar.


Nas últimas semanas eu tenho faltado bastante às aulas, não por não ter vontade de estudar, mas por travar. Começa com uma fagulha de ideia e termina numa falha do sistema: não consigo me mover por nada nesse mundo, como se algo horrível fosse acontecer se eu ousasse sair da zona de conforto, onde é seguro.

Às vezes eu não consigo sair nem da cama. Eu fico me afogando entre uma crise e outra, adormecendo lá pelas tantas com o rosto inchado, acordando com um pesadelo macabro e tudo isso se repetindo. Às vezes passo dias e dias assim, outras até consigo sair da cama, de casa, viver, mas a cabeça está longe, comigo no piloto automático.

Eu sinto vergonha depois que a crise passa, me sinto inútil e penso que todos vão debochar de mim caso saibam como eu me sinto. E pensar dessa forma me leva a outra crise. É como se eu estivesse vivendo em um loop que contém outros loops dentro. Eu estava frequentado um psicólogo toda semana em Julho, mas estou mal de dinheiro no momento, então é: estou sem tratamento. Sei que grande parte do motivo de estar sofrendo assim é por conta disso, mas não há muito o que eu possa fazer além de continuar tentando.

Esse sentimento de medo, de sofrer por antecipação, de achar que eu não sou capaz, me deixa enlouquecidamente triste. Eu tenho pensado muito na morte, muito mais do que já pensei outrora. Se existir é vida, fauna, flora, ser, cores e luz, o que será que é não existir? Vácuo? Escuridão? Silêncio? Será que é o que eu procuro ou é algo completamente diferente? E afinal, o que eu quero: deixar de existir ou fugir do caos da minha mente?

Quanto mais eu penso mais dúvidas tenho. Eu não acho que irei desistir de viver, na verdade, duvido muito que isso possa acontecer. A ansiedade me faz ter medo de fazer qualquer coisa que eu não tenha absoluta certeza do que vai acontecer. Eu não consegui ir até um cartório pegar um documento outro dia porque minha mãe não tinha certeza sobre o nome, o valor e nem se eu de fato poderia pegar o documento. Eu chorei muito, aquela incerteza toda me deixou em pânico e eu não consegui nem ao menos abrir a porta de casa, fiquei no banheiro lavando o corpo com água fria, tentando me acalmar.

A coisa é que eu gostaria muito de pelo menos amenizar tudo isso. Eu quero desesperadamente um colo, afago no cabelo, beijinho na testa e poder chorar por horas sem que alguém me julgue ou tente me impedir de fazer isso. Eu preciso de carta branca para ser frágil, sabe? Estou cansada de fingir ser forte o tempo todo. E mais do que qualquer coisa: não quero mais ser obrigada a enfrentar todas as coisas que me deixam impotente lá fora, no mundo cruel. Eu gostaria de poder ficar com meus livros, uma xícara com bebida quentinha e boa música para ouvir. Não quero mais estar no meio daquelas pessoas fingindo que está tudo bem. Mas se eu quiser fazer isso, tenho que desistir de ir para a aula ou de tentar emprego e isso é um tanto quanto impossível.

Eu não sei o que fazer, mas estou tentando. Estou aqui.

MAY THE FOREST BE WITH YOU.


Um comentário:

  1. o blogger deletou meu comentário por eu ser meio boca aberta e clicar pra ver a versão desktop no celular, mas enfim, tentarei reescrever meu comentário, mesmo duvidando que ele terá a mesma qualidade do primeiro (ninguém se banha no mesmo rio duas vezes).

    primeiramente, eu sei que tu provavelmente vai ficar triste ou chateada com o que eu vou dizer, mas me desculpa por não ter a disponibilidade de dar um abraço, de te oferecer o acalento necessário e o melhor dos meus cafunés na tentativa de acalmar teu coração. é uma das desvantagens de eu ter minha melhor amiga morando do outro lado do estado: eu não posso estar aí pra ti fisicamente quando tu precisa. o máximo que tenho pra oferecer são palavras, palavras bonitas que nem sempre têm o impacto que eu gostaria. ainda assim, não acho certo não escrever por aqui em teu momento de dor - tu sempre está lá pra mim, afinal de contas. sabemos que eu não sou a melhor pessoa pra falar de sentimentos, mas ficar quieta seria um desrespeito à nossa tão preciosa amizade, que tem sido cultivada de forma limpa, pura e profunda por todos esses anos.

    eu admito que me identifiquei mais do que gostaria com essa postagem. eu estou eternamente a procura de paz, já que tudo tem me deixado em nervos, em prantos ou com medo. às vezes, é tudo junto. e eu nunca sei exatamente por que essas coisas acontecem depois que elas param de acontecer. eu fico com medo, em pânico. a incerteza me assusta e eu também tenho um medo profundo de falar sobre isso ou de que as pessoas percebam isso, porque parece visível que elas irão rir de mim e fazer pouco dos meus sentimentos. eu me sinto desconfortável em público porque na minha cabeça, as pessoas claramente pensam que eu não pertenço àquele lugar.

    eu não entendo a tua situação, afinal não tenho ansiedade diagnosticada e não imagino como deve ser passar por angústias tão extremas; além disso não sou tu, não tenho tua construção interna e não sei como tu te sente, apesar de me identificar um pouco com a tua situação. eu só quero dizer que apesar de não entender e não poder ajudar, estou sempre aqui pra te ouvir, seja falando sobre chá ou sobre os sentimentos mutáveis de teu universo inconstante, tuas angústias e tua dor também importam pra mim, afinal somos amigas. faz uns dias que não nos falamos e sinto tua falta, apesar de saber que tu precisa de um tempo sozinha. eu espero que tu possa voltar logo a fazer tratamento e que as coisas se tornem mais fáceis, ou pelo menos aparentem isso. posso não ser de grande ajuda, mas sempre estarei por aqui. ♡

    ResponderExcluir

🌜 Plágio é crime;
🌜 Evite desavenças;
🌜 Críticas construtivas são bem-vindas;
🌜 Quando não souber o que falar não fale nada;
🌜 Comente sobre a postagem, não apenas se auto-divulgue;
🌜 Tem blog? Deixe o link no final do comentário :3

Use sem espaços:
negrito: < b > texto < / b>
itálico: < i > texto < / i >
link: < a href = "l i n k a q u i" > texto < / a > mantendo espaço somente entre a e href.

"Diga amigo e entre."
Elf Garden 1.1.0 Template. Yoona Moon [29.11.14]06.06.17 - ∞.
Todos os direitos reservados.